Invisibilidade. Ficção e Realidade.

by

 

Quem nunca sonhou em ser invisível? Lembro-me de que das vontades que eu tinha, quando criança, essa só perdia para a vontade de voar. Nessa época, havia dois seriados cujo herói era um homem invisível. Em um deles, o personagem era sempre invisível e por isso tinha que usar uma máscara, o outro ficava invisível apertando um botãozinho no relógio (vocês mais novos devem estar pensando: que babaca! Não é? Mas aposto que muitos colecionavam os bonequinhos dos cavaleiros do zodíaco, criança é “um bicho bobo” mesmo, principalmente os meninos).

Em filmes como Harry Potter ou O Senhor dos Anéis, a invisibilidade aparece em itens mágicos como mantos ou capas. Já nos super-heróis temos a mulher invisível do quarteto fantástico.

O grande escritor de ficção científica do século XIX, H.G. Wells, nos brindou com muitas questões intrigantes e atuais. Em “A máquina do tempo” ele aborda as viagens pelo tempo. Em “Guerra dos mundos” somos invadidos por seres extraterrestres, Na aventura “A ilha do Dr Moreau” ele previu as questões relativas a clonagem e engenharia genética e em “O homem invisível” um cientista torna-se completamente invisível depois da manipulação de compostos químicos. Será que a máquina do tempo foi realmente uma ficção? Ou ele realmente criou uma máquina do tempo,viajou ao futuro e voltou para criar estórias fantásticas?

Nas forças armadas os aviões  F-117 Nighthawk  e o B2 Spirit Stealth Bomber

são chamados de invisíveis, pois conseguem fugir dos radares absorvendo as ondas enviadas pelos mesmos. Essa absorção acontece entre outras coisas, graças a uma tinta especial e uma arquitetura completamente diferente do avião.

Para entender a física da invisibilidade é preciso entender a óptica básica da visão. Muitos ainda pensam como Aristóteles, achando que a visão parte dos nossos olhos para o objeto, mas é o contrário. A visão só é possível se o objeto que está sendo visto emite luz ou reflete luz. A luz deve partir do objeto para nossos olhos e não o contrário.

Por isso não conseguimos enxergar no escuro, sem luz, sem visão. As vezes conseguimos distinguir alguma coisa num quarto escuro, mas é que na verdade não há escuridão total e sim a penumbra. Na falta total de luz, não tem como enxergarmos. Alguns animais conseguem “ver” no escuro porque possuem sensores térmicos e captam o calor emitido por suas presas, portanto eles enxergam em outro comprimento de onda (outra freqüência) de luz.

Como tornar algo invisível então?

No Best Seeler de 1987 Operação Cavalo de Tróia  de J.J. Benitez, que rendeu 7 continuações, no romance fictício, mas que pretende ser tratado como real, é descrito uma espaçonave que fica completamente invisível. Para isso a espaçonave emite, em torno dela mesma, raios infravermelhos que absorveriam a luz visível que incidisse sobre ela. Sem refletir luz ela seria invisível, segundo o autor.

O autor esqueceu apenas de um pequeno detalhe, ao absorver toda luz que incide sobre a nave, tudo que estiver atrás dela não será visto, a nave não ficará invisível e sim uma enorme macha negra viajando por sobre as cabeças das pessoas.

Um objeto só será invisível se permitir que a luz o atravesse quase totalmente (ou como veremos, se a luz puder contorná-lo).  No laboratório de física do colégio realizo um experimento que mostra como tornar um bastão de vidro invisível , algo parecido com o que é mostrado nesse vídeo:

No vídeo foi usado glicerina, eu utilizo tetracloroetileno. Esses líquidos possuem uma densidade muito parecida com a do vidro, assim quando mergulhamos um bastão de vidro neles, a luz atravessa o líquido e o bastão praticamente sem desvio e por isso não podemos enxergá-lo. No laboratório o experimento chama bastante atenção. Primeiro mergulho o bastão em um béquer vazio e o bastão pode ser visto com clareza. Depois encho o béquer com tetracloroetileno e ao mergulhar o bastão, ele some, fica somente uma pequena sombra como se ele estivesse envolto no manto do Harry Potter.

Apesar do sucesso o experimento deixa os alunos um pouco decepcionados. Quando comento que para ser invisível um objeto precisa  ter a mesma densidade do ar, não demora muito até que alguém perceba que seria impossível, para uma pessoa, se tornar invisível.

Mas o que dizer do manto da invisibilidade?

A imagem abaixo não é uma montagem nem traz truque algum:

Esta jaqueta é uma tentativa, ainda tosca, da busca do manto da invisibilidade. Observe que é possível observar o vulto das pessoas que estão atrás de quem está usando a jaqueta. Já que não podemos modificar nossa densidade para se igualar com a do ar, porque não curvar a luz de tal forma que ela não passe através de nós?

Os metamateriais consistem de um arranjo regular de minúsculos componentes que lhe dá propriedades bem diferentes dos materiais encontrados na natureza. A nanotecnologia está revolucionando de uma forma estrondosa a ciência dos materiais e a cada dia novas propriedades estão sendo descobertas. Entre essas propriedades estranhas dos metamateriais estão a absorção praticamente total de toda luz que incide sobre eles, e o índice de refração negativo, que faz com que a luz “vá para o lado contrário” quando curvada.

Usando metamateriais os cientistas conseguiram criar uma espécie de manto da invisibilidade, fazendo a luz contornar o objeto ao invés de atravessá-lo ou ser absorvida por ele. Os primeiros trabalhos foram feitos em comprimentos de onda não visíveis e para planos bidimensionais. Estudos mais recentes já conseguiram curvatura da luz em 3D e para comprimentos de ondas muito próximos do visível.

A figura ao lado mostra como uma esfera poderia ser escondida. A luz, ao atingir o metamaterial seguiria a trajetória das linhas pretas, sofrendo uma curvatura em torno da esfera central e sairiam sem tocá-la.

Os primeiros estudos sobre esses materiais começaram a aparecer em 2007 e é impressionante que tanto avanço pode ser obtido em menos de 4 anos.

Ainda estamos muito longe do manto da invisibilidade. Enquanto isso podemos nos divertir com a deliciosa comédia de John Carpenter “Memórias de um homem invisível” com Chevy Chase, Daryl Hannah e Sam Neill, ou para quem gosta do gênero suspense com efeitos especiais “ O homem sem sombra” de Paul Verhoeven, com Elisabeth Shue, Kevin Bacon, Josh Brolin e Kim Dick, infelizmente, em minha modesta opinião, os roteiristas deixaram escapar uma boa idéia inicial, pois o filme começa muito bem mas depois se perde em clichês idiotas, do tipo perseguição insana. O melhor mesmo é procurar na biblioteca “O homem invisível” do Wells, esse é diversão garantida.

Bibliografia:

Metamaterial electromagnetic cloak at microwave frequencies

D. Schurig, J. J. Mock, B. J. Justice, S. A. Cummer, J. B. Pendry, A. F. Starr, D. R. Smith

Science

Vol.: Vol. 314. no. 5801, pp. 977 – 980

DOI: 10.1126/science.1133628

http://www.inovacaotecnologica.com.br/noticias/noticia.php?artigo=metamaterial-indice-negativo-refracao&id=010160100428

http://www.inovacaotecnologica.com.br/noticias/noticia.php?artigo=manto-da-invisibilidade-3d&id=010160100319

http://www.inovacaotecnologica.com.br/noticias/noticia.php?artigo=010160070503&id=010160070503

Anúncios

Tags: , , ,

9 Respostas to “Invisibilidade. Ficção e Realidade.”

  1. Henrique Says:

    Muito interessante, Jacó. Me lembro de ter visto (não me lembro a fonte) um cara que pesquisava um tecido feito com LED (se não me engano) que exibia a imagem do que estava atrás do objeto coberto com ele (o ambiente precisava ser filmado). O efeito era parecido com o dessa tecnologia que você mostrou (eles conseguiam uma imagem estranhamente boa no tecido, mas ainda assim uma imagem), ou seja, também estava longe da perfeição. A intenção do tecido, contudo, não era a de fazer uma pessoa invisível, mas sim os painéis de um carro ou de um avião, de modo que motoristas e pilotos pudessem ter uma visibilidade melhor. Talvez possam existir outras aplicações, até bastante inusitadas, para esse tipo de tecnologia. Tomara, que então ela poderia compensar os malefícios que acabaria trazendo com seus possíveis usos militares.

    Abraços,

    Henrique

    • blogs oswald Says:

      OI Henrique, só agora percebi que não respondi seu comentário, me desculpe. Os Led de grande potência estão entrando com tudo no mercado e vão transformar bastante nosso cotidiano, como já estão fazendo com as tvs e com iluminação ambiente. Essa aplicação que vc sitou eu ainda não vi, mas imagino que deva ser bem interessante. . abraço e obrigado pelo coments.

  2. theo monteiro Says:

    genial! agora me lembrei da aula do bastão de vidro, mas não esperava que houvesse uma certa explicação física para a invisibilidade! hahaha
    abraço

  3. Laura Mello Says:

    Muito legal Jacó. Esse é um modo muito mais fácil de fazer a luz fazer curvas, né?rs
    beijo

  4. blogs oswald Says:

    Caramba, isso é extraordinário!!!

    Adriano.

  5. Maurício Moura Says:

    É realmente muito impressionante esse “manto da invisibilidade”!
    Porém como toda tecnologia nova essa também pode ser usada em guerras ou por pessoas mal intencionadas…
    Em quanto tempo você acha que poderão fazer um manto desses com perfeição?

    PS: Caramba, isso é extraordinário!!! haha

    Abraço,
    Maurício

    • blogs oswald Says:

      AH muito difiicl prever em quanto tempo estará pronto, ou se algum dia ficará realmente perfeito. mas a evolução está indo muito rapido, em menos de dois anos, um avanço muito grande nesses meta materiais foi impressionante. não me surpreenderia se em menos de 10 anos tivessemos pelo menos uma versão primeira, bem boa. sobre o uso para o mal, até uma poesia pode ser usada. abraço

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s


%d blogueiros gostam disto: