Aula No MIT – Uma pessoa deitada é maior do que se estiver em pé?

by

Dentro da área das ciências naturais  e da  tecnologia dois institutos norte americanos se destacam: o MIT (Massachusetts Institute of Techology – Instituto de Tecnologia de Massachusetts) e o Caltech ( California Institute of Technology – Instituto de Tecnologia da Califórnia).

Até o ano de 2006, 61 membros ou ex membros  do  MIT haviam recebido o premio Nobel. Apesar de outras renomadas universidades dos EUA também serem muito forte na área da ciência e tecnologia o MIT é considerado um centro de excelência nessas áreas.

Como deve ser uma aula em uma universidade como essa?

Passeando pelo You tube encontrei um video gravado ao vivo da primeira aula, do primeiro ano de mecânica do curso de física. (Na verdade várias universidade, inclusive algumas brasileiras, estão disponibilizando suas aulas na net, o interessante desse video é que está legendado).

O link que estou disponibilizando abaixo é apenas dos primeiros dez minutos, mas a aula toda pode ser assistida, basta clicar em PRÓXIMO para assistir a parte 2 e assim por diante. Talvez você ache massante no começo, mas com um pouco de paciência você vai acabar se envolvendo e querendo saber a resposta da questão que o professor coloca: Segundo sua avó pessoas deitadas ficam maiores do que pessoas em pé.

É interessante observar que a sala de aula, apesar de se tratar de uma aula teórica, está preparada para alguns experimentos lúdicos feitos pelo professor. É interessante notar também que ele comenta trabalhos científicos feitos por ele próprio.

Em tempo: a aula é sobre unidades de medidas, a importância de ser rigoroso nas medidas feitas e quais as grandezas básicas da mecânica.

Segue o link da universidade:

http://web.mit.edu/

E o video:

AGUARDO OS COMENTÁRIOS SOBRE O QUE VOCÊS ACHARAM DA AULA.

Anúncios

Tags: ,

10 Respostas to “Aula No MIT – Uma pessoa deitada é maior do que se estiver em pé?”

  1. Bruno Says:

    Olá prof Jacó, achei muito interessante conhecer como é uma aula em uma universidade que esta entre as 10 melhores do mundo! realmente não esperava uma aula assim, tudo bem que essa é a primeira aula rs, porém, acreditava que seria uma aula complexa, também achei interessante o fato de ter experimentos na aula teórica, fica muito mais fácil a assimilação da explicação quando se pode visualiza-la. Não posso argumentar muito, pois apenas assisti uma aula, mais pelo pouco que vi, falo com conhecimento que mesmo sem os tais experimentos que o professor do MIT possuía e com certeza dever ter em outras aulas, a aula que você ministra não perde em nada para dele, pois com suas explicações buscando exemplos práticos e do nosso cotidiano nós conseguimos assimilar muito bem, acho que o que falta para nós é tempo, trabalhar e estudar não é fácil, com certeza no MIT os alunos devem estudar em período integral, temos uma realidade um pouco diferente em nosso país neh prof?

    concluindo meu post, parabéns professor, gosto muito da sua aula, pena que o ciclo básico da UNIP esta acabando e que o senhor não da aula para o especifico. mais tudo bem vou continuar acompanhando o blog.

    abraço, Bruno Rodrigues

    • blogs oswald Says:

      E Bruno a realidade brasileira é diferente sim, mas precisa lembrar que o MIT é uma universidade particular como quase todas nos EUA. obrigado pelos elogios, e obrigado por acompanhar os posts, esse retorno é sempre importante . abraços

  2. Josinei Vaz Says:

    Olá, concordo com o Bruno quando ele diz que suas aulas, assim com alguns professores da UNIP não deixam a desejar quando se trata de conteúdo (a faculdade, é claro não tem a mesma estrutura).

    Assisti varias aulas no professor Walter Lewin, adorei quando ele se pendurou em um cabo de aço para usar seu proprio corpo como pêndulo.

    Olhando bem, até que ele se parece um pouco com vc… Tira-se um pouco de cabelo… coloca-se um óculos… pronto… Jacó Lewin em pessoa… rsrs

    Obrigado pela dica.

    • blogs oswald Says:

      Oi Josinei,
      ainda não vi esse em que ele se pendura para se tornar um pêndulo, mas gostei da ideia, já estou mandando providenciar uma sala dessas pra mim..rsrs.
      quanto a aparência, eu tb acho, daqui uns 15 anos, vou ficar igualzinho…
      abraço

  3. Felipe Jacob Says:

    Oi Jacó,

    Passando pelo seu blog fiquei feliz que você também conheceu o professor Walter Lewin. Durante essas ferias de julho eu me deparei com o curso dele no MIT OpenCourseWare e simplesmente não consegui mais parar de assistir. Acabei assistindo o semestre inteiro de mecânica e cálculo de uma variável e acabei fuçando os cursos de química, ciência da computação e eletricidade. Acho que isso acabou abrindo minha cabeça para várias questões teóricas e relativas a como se fazer ciência. Na verdade, foi o passo decisivo para minha decisão de sair de administração e me mudar para um curso de exatas.
    Na última aula por exemplo, ele discute como foi a carreira dele como pesquisador, e também comenta dos experimentos que ele fez na universidade, lançando balões por décadas para conseguir captar raios X vindos de estrelas de neutrons (é assim que elas se chamam?).
    Enfim, acho que qualquer um interessado por física tem muito a ganhar assistindo essas aulas. O professor Lewin tem a filosofia de que cada aula sua tem que ser um evento, com algo memorável que instigue a curiosidade dos alunos, então ele costumava chegar todo dia na sala de aula as 5 da manhã para preparar essas demonstrações. Cheguei a ver experimentos onde ele atira em um boneco de macaco com uma bola de golfe enquanto ele caí, mostra a conservação de energia com um pêndulo com uma bola de chumbo na ponta, ou se pendura em um cabo de aço para virar o proprio pêndulo.
    No fim das contas achei fantástico conhecer esse senhor, que com sei lá quantos anos e já sendo um pesquisador bem sucedido ainda tem paixão pelo ensino e continua motivado parar ensinar. Na primeira aula do curso de eletricidade ele diz que no final do curso todos aprenderão a gostar de física, quer queiram quer não, e eu acho que ele realmente consegue.

    Como eu disse no último dia de aula, eu acho que acabei aproveitando bem mal o ótimo curso que você deu pra gente no Oswald, mas para justificar alguma coisa, eu sinto que algumas sementinhas que você plantou com as suas aulas estão começando a mostrar seu valor. O fantasminha do Jacó sempre aparece pra falar que a entropia naturalmente aumenta e que tudo se transforma.
    Na verdade, a única coisa que eu tinha postulado na minha cabeça como absolutamente certa, é que nada passa a velocidade da luz, e pelo jeito até isso tem sido comido pela desordem nesses últimos dias…

    Um grande abraço,
    Felipe Jacob.

    • blogs oswald Says:

      OI Felipe, que prazer “recebê-lo” aqui. Aluno ilustre assim é sempre um prazer. Fico feliz de você ter ido para uma área de exatas, pois talento pra isso você tem muito e sabe disso.
      O lewin acabei descobrindo por acaso, já tinho ouvido falar bastante das aulas disponíveis de várias faculdades, mas nunca tive muito tempo e paciencia, pra procurar. Ainda não vi as outras aulas, mas é lição de casa pras férias. Um outro aluno me falou dessa aula do pendulo. Sobre as estrelas de neutrons é esse mesmo o nome delas, ou pulsares, como são mais conhecidas.
      Na verdade aproveitar “bem” o ensino médio é algo muito dificil, pois acho que nessa idade vocês estão realmente em outra dimensão. Mas a querida Helena (profa de matematica) uma vez me disse que a gente acha que ficou muito pouco na cabeça do aluno, pois que eles não lembram de quase nada do que a gente ensina (assim como nós professores lembramos muito pouco do que nos ensinaram nossos professores) mas muita coisa fica só que de um outro jeito, eu entendi o que ela quiz dizer e fiquei mais tranquilo com isso. Acho que você aproveitou sim, do seu jeito, sem anotar, sem fazer lição de casa, mas estava sempre muito atento e fazendo ótimas perguntas. Com certeza muitas coisas foram esquecidas, mas como você mesmo disse, algumas semestes estão por aí , jogadas ao acaso, e vez ou outra alguma germina. Sobre o experimento acima da velocidade da luz, não sei não se vai se confirmar, mas se for o caso, não será uma grande surpresa não. a quantica já perturbou muito mais….
      forte abraço
      Jacó

  4. Aline Says:

    Assisti à aula inteira: adorei!
    Ass.: Nerd da madrugada (ahahaha)

    Beijo pra você, Jacó!

  5. Everson Vargas Says:

    Olá! Esta legenda foi eu que fiz, e fico feliz que o pouco que eu fiz esteja auxiliando alunos, estudantes e interessados em Física a se aproximar mais deste material, mesmo porque não são todos que tem o domínio ou parcial domínio da língua inglesa. Estas problematizações que o Prof. Lewin expõem, se tornam muito mais do que simples constatações de curiosidades. De fato,um início como este para a análise de situações fenomenológicas que, se não tratadas com muito carinho e principalmente paciência, podem ser fatores de complicações no aprendizado da Física.
    Parabéns pelo blog!

    Abraço

    Everson Vargas
    UFSC

    • blogs oswald Says:

      Olá Everson, fico muito feliz que tenha gostado do blog e mais ainda pelas legendas. Realmente elas são de grande ajuda pois vários de meus alunos não possuem o completo dominio da lingua inglesa, como você mesmo mencionou. Essa é uma das coisas boas que a internet proporciona, pessoas realizando tarefas (muitas vezes arduas) sem nenhum retorno financeiro, apenas pelo prazer de participar, ajudar, enfim contribuir de algum modo. Um forte abraço.
      Jacó

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s


%d blogueiros gostam disto: